Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

Um novo intercâmbio...

Mesmo antes de retornar de meu ano no exterior, eu já pensava em minha próxima aventura fora das fronteiras brasileiras. Minha intenção não era voltar e logo ir embora. Eu tinha de me formar primeiro e discutir as possibilidades de intercâmbio com meu namorado, o Guitarrista.
Ele nunca foi muito animado com a idéia de morar fora como eu. E brigamos muitas vezes por causa disso. Eu, toda sonhadora e animada. Ele, sensato e realista. Fomos levando a vida por aqui, passei as oportunidades em frente e brinquei de fazer casinha. Mas nossa vida continuava difícil, o trabalho sem nos dar satisfação profissional e acho que cada vez mais minha busca por isso atingiu o Guitarrista. Agora parecia que ele não mais apenas sonhava com sua aposentadoria, mas que gostaria de desfrutar de uma satisfação em sua carreira também. E por isso eu já sou realizada.
Começamos juntos a buscar possibilidades de intercâmbio. A nos questionar ao que queremos e por que queremos. A rever o que temos aqui e balancear…

Fazendo o Match

Imagem
Desde que comecei a fazer freelance para a Huisje Boompje Nanny (ou HBN) falo muito com as futuras au pairs e sempre procuro dar sugestões de como escolher família, de como ela podem se precaver ao máximo e evitar problemas futuros e até meios de lidar com problemas caso eles apareçam.
Percebi que pouco falei do meu processo. Das dificuldades que realmente passei por não ter levado em conta as minhas próprias dicas. Por ter aceitado muitas respostas sem averiguar se minha rotina, meus benefícios seriam mesmo aqueles que foram prometidos. E principalmente por ter feito todas as negociações com um só Host ( o Host Father) e não com os dois como deveria ter sido, já que eu moraria e viveria com os dois. Encontrei a família pelo Au Pair World, ou APW como a maioria de nós se refere a ele. Na época eu ainda não havia escolhido o país para o qual eu iria e o que exatamente eu esperava do meu ano como au pair. Era novembro de 2007. Eu sempre gostei de bebês e sempre tive facilidade para li…

A vez da Luna!

Imagem
Agora que já falei da Iris, minha menina vaidosa e espuleta; chega a vez de contar mais sobre a Luna. Dos três, foi ela quem mais demorei para conquistar. Era a menos carinhosa, a que menos confiava em mim. Mas não pensem que isso signific que Luna era distante, não era. Seus irmãos que eram mais extrovertidos, mais calorosos. Quando cheguei na Holanda, ela tinha 5 para 6 anos. Era muito esperta e um pouco birrenta e como toda irmã do meio, sentia-se por vezes deixada de lado pela mais velha ou muito crescida para brincar com o pequenino Morris. No começo, ela fazia questão de me ajudar a chamar atenção de sua irmã mais velha, dizendo insistentemente que ela precisava me obedecer para que eu não fosse embora (!!!). Seus pais que diziam isso no começo, que se eles não se comportassem eu iria pegar minhas coisas e iria embora. Mesmo ela ainda sendo desconfiada, tinha medo de que eu realmente fosse. Ela não falava muito sobre sentimentos, era carinhosa, mas se mantinha afastada muitas v…